Modernização da bomba de transferência de petróleo bruto

Revitalização da indústria do petróleo

Uma bomba de transferência de petróleo bruto em uma plataforma offshore na Malásia precisava ser reavaliada para atender a mudanças nas condições de funcionamento. Felizmente, a Sulzer encontrou uma solução de modernização em linha com as difíceis restrições de espaço e tempo.

Nosso projeto na Malásia mostra que a modernização é tanto uma melhoria técnica quanto econômica. A solução competitiva adaptou equipamentos existentes a necessidades em evolução.

Para dar um contexto, os baixos preços do petróleo pressionam produtores de petróleo do mundo todo a ampliar a vida útil de campos petrolíferos consolidados e desgargalar as plataformas existentes. Isso levou a um aumento na demanda global por soluções de modernização.

A Petronas herdou a plataforma Kinabalu da Shell na Malásia, que a operou por 25 anos. Ela precisava de uma atualização, e a Talisman Malaysia Limited tornou-se a operadora. Situada em Sabá, no leste da Malásia, Kinabalu produziu uma média de sete milhões de barris de petróleo por dia (mmboe/d) em 2014.

A Talisman queria continuar a produção, desenvolver a plataforma e melhorar a recuperação de petróleo bruto dos campos de petróleo da Kinabalu. A empresa decidiu sabiamente investir na melhoria das instalações. Tivemos que adaptar os equipamentos rapidamente às novas funções e evitar paradas.

Novas funções para a bomba

O ponto crucial do problema foi que, devido à produção reduzida dos poços e às mudanças nos processos, a bomba de transferência de petróleo bruto da plataforma precisava fornecer taxas de fluxo muito menores. Além disso, o fluxo da bomba também deveria variar nos próximos cinco anos.’

Rápida parada no local

A Sulzer forneceu conhecimentos hidráulicos de última geração para oferecer ao cliente a melhor solução, tendo a reavaliação hidráulica como foco central.

Princípio do controle de pressão e taxa de fluxo com válvula de estrangulamento.

A Sulzer forneceu um novo sistema hidráulico de baixo fluxo e baixa pressão para atender às várias condições de serviço. A maior dificuldade para cumprir três pontos de serviço diferentes foi resolvida através da redução do fluxo e da pressão usando uma válvula de descarga. Isso fez a bomba funcionar em um ponto mais próximo do melhor ponto de eficiência.

Esse método foi a melhor solução técnica e econômica considerando-se as restrições de espaço. As perdas de energia foram minimizadas. Os benefícios de operar a bomba perto do ponto de projeto são a redução das vibrações e o aumento da confiabilidade.

Relação geral entre fluxo e vibração: a vibração é mais baixa perto do ponto de design (de acordo com o American Petroleum Institute, API).

Um novo projeto de rotor assegurou um mínimo de recirculação de líquidos para que a energia não fosse desperdiçada. Foram utilizados revestimentos protetores especiais, extremamente resistentes, como o SUMEPUMPTM em todas as peças molhadas (carcaça da bomba, gaxetas, rotores e luvas). As trocas do rotor foram feitas umas após as outras para economizar tempo. A Sulzer Singapore trabalhou com uma empresa local de teste para satisfazer as exigências de testes do cliente. A primeira bomba foi comissionada com sucesso em 2015.

Nosso cliente ficou convencido do valor agregado que a Sulzer gerou e já agendou a modernização da segunda e da terceira bomba.

Benefício para o cliente— mudando apenas o necessário’

Para reduzir o custo, a solução incluiu mudar o projeto do rotor aproveitando a carcaça da bomba existente, o motor, o plano de vedação e a disposição da tubulação. Nenhum trabalho quente, —como solda, corte, etc., —foi necessário no local. Com exceção do rotor, que precisou ser otimizado para a nova função, a maioria das peças sobressalentes é intercambiável. Portanto, o estoque disponível pode ser usado para manutenção futura. A disposição geral foi mantida, e a Sulzer mostrou ser mais engenhosa do que nunca.’

Como podemos te ajudar?

Fale ou escreva para os nossos especialistas e encontre a melhor solução para você.